Resenha: O Jogo da Imitação

Maquiagem para relaxar

Indumentária é o que mesmo? Entrevista na E-Paraná

Escrito por Hellen Albuquerque em 24 de julho de 2015

Se você já olhou o título desse site e se fez essa pergunta, não se sinta culpado. É normal. Eu já respondi essa dúvida tantas vezes quanto um professor de primeira série explicou porque o céu é azul – algo que pra mim continua um mistério.

Quero ser tão simplista quanto a tia da escola: Indumentária é a moda quando ela é cultura. Indumentária é tudo.

São as togas gregas. Os saris árabes. Os quimonos das gueixas. Quando você imagina cada uma dessas vestimentas, vem com elas toda a história: as belas esculturas que duram milênios, as danças coloridas, os lábios vermelhos com uma sensualidade contida. Hoje, indumentária pode ser jeans e camiseta. Quando esse conjunto tem muito o que contar.

Me deparei com essa palavra pela primeira vez em um livro de história da moda. Eu sempre gostei de história, as do mundo e de contar algumas, quando percebi que minhas roupas também as tinham, fiquei maravilhada. Guardei essa palavra com o carinho que guardo todos os meus livros: desorganizadamente na estante, ainda mais bagunçado na memória.

Quando a Josianne Ritz, editora chefe do Jornal Bem Paraná, ouviu falar de mim através de um amigo querido, pediu para que eu mandasse uma proposta de como seria um blog de moda escrito por mim. A maior parte de quem ali escrevia usava o próprio nome para intitular seus espaços, porém, mesmo que não pareça eu sofro de timidez – a qual controlo compulsivamente – e não queria que ninguém soubesse que eu estava ali escrevendo. Me pediram uma foto para estampar ao lado do título, sugeri uma logo. Fugi o quanto pude. Não sabia se eu tinha o que falar. Nem se queria ser o rosto de qualquer coisa. Bem, acontece que tinha e que eu queria.

Busquei nos meus arquivos essa palavra que hoje tem valor inestimável para mim: Indumentária. Desde seus primórdios, em junho de 2013, queria associar moda a todas as outras expressões culturais, afinal, uma sociedade canta, escreve, cria – e veste – aquilo que vive.

GENTE, TÔ IMPRESSA! O Blog Indumentária é bem novinho ainda (que nem eu, hihi), mas já está colocando os pés pra além…

Posted by Hellen Albuquerque on Sexta, 1 de novembro de 2013

Não tão convencida, Josi me abriu espaço. Algo pelo que sempre serei grata. Afinal, quem dá trela para uma menina linguaruda de 19 anos? Ela deu. E ainda me imprimiu. Tenho a prova enquadrada na parede: uma coluna de meia página com meus devaneios que questionam tudo, como uma boa aquariana. Padrão de beleza? Forma certa de usar? Jeito de parecer? Jeito de vestir? Minha resposta era em 2013 e continua sendo em 2015: do jeito que você quiser.

Meu cabelo era mais curto, eu mais insegura. Neste ano com diploma – e anel – de jornalista formada, estou alongando as asas como bem-te-vi corajoso. Assumi meu rosto nos editoriais que também divulgam outros jovens profissionais como eu – nada de look do dia, veja bem – passei a assinar todos os meus textos. O Indumentária cresceu junto. Ganha um espaço seu, como portal, se retirando do Jornal Bem Paraná. Não é um adeus, nem um até logo, afinal, o primeiro a gente nunca esquece. Continuamos amigos, que se falam sempre sem precisar se ver todos os dias, ou semanas – amizade do tipo mais sincero.

Confira a entrevista que fizemos para o programa E-Cultura na E-Paraná.

Editorial de gender bender

Produzimos em parceria com a fotógrafa Mariana Quintana um editorial sobre peças que não tem gênero. Uma busca por igualdade das calças aos pagamentos de salário. Sua publicação será no Jornal Bem Paraná durante agosto.

A gente se fala!

postado por

O nome é Hellen, mas pode chamar de Hell. Jornalista, feminista e contraditória, tenho como combustíveis o café, poesia e boas gargalhadas. Minha relação com a escrita é a mais longa que já tive, mas vivo em flerte com a moda. Sou aficionada por histórias, portanto é fácil me encontrar em um brechó, as buscando nas roupas; em um sebo, perdida nas páginas dos livros; ou observando tudo que há a volta – cuidado para não trombar comigo! Acredito na beleza como um sentimento e na moda como uma expressão cultural.
Mais Moda

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


*

Ins
ta
gram