Oficina da Gasp: design em sapatos artesanais

Bom, bonito, barato e de brechó

Roupa Não Tem Gênero

Escrito por em 2 de julho de 2016

Roupa não tem gênero, minha cantora rigorosa
Porque o importante é a pessoa se sentir bem
Possuir uma peça para vestir é uma dádiva maravilhosa
Pois protege o corpo independente da moda que vai e vem
Transformando-se num escudo contra esta vida perigosa

Quando eu era uma criança carente
Vestia tudo o que via pela frente

Eu amava vestir as roupas dos meus primos
Muitos eram do sexo masculino
Pois estas peças tinham histórias e mimos
Entrem canções de vitrolas e sinos!

Por brincadeira, zoeira e curiosidade
Vestia os suspensórios do meu avô idoso
Assim eu me fantasiava de felicidade
Naquele momento maravilhoso

Toda a roupa unissex tem uma alegria
Pois cada veste enfeita a aura de um ser
Trazendo emoção e harmonia
Que vai muito além do prazer!

Quando uma moça cheia de ternura
Veste a roupa do seu eterno amado
Seu espírito sente o gosto e o sabor da doçura
Pois o suor da paixão penetra em seu corpo calado

Quando um apaixonado moço
Veste uma peça de sua princesa
Ele se liberta do escuro calabouço
Descobrindo o segredo da beleza

Roupa não tem gênero, minha cantora rigorosa
Porque o importante é a pessoa se sentir bem
Possuir uma peça para vestir é uma dádiva maravilhosa
Pois protege o corpo independente da moda que vai e vem

Texto: Luciana do Rocio Mallon
Editora da coluna: Andrea Mayumi

postado por

Elas por Elas é um coletivo feminista de Curitiba. Somos um espaço de debate e apoio às mulheres. Nossos valores são sororidade, empoderamento, respeito e empatia.
Mais Feminismo

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


*

Ins
ta
gram